Política

Sem humildade para reconhecer seu erro, Gladson acusa PT de politizar o que ele mesmo politizou

Apesar de sempre evocar a figura do tio, o ex-governador Orlei Cameli, a cada dia que passa Gladson se distancia um pouco mais da imagem de homem sério e de palavra que Orlei construiu. Ao contrário do tio, que sempre presou pela honradez, Gladson, como diz o popular ‘não pode ver uma vergonha que já quer passar’.

Na mais recente delas, que certamente não será a última, Gladson chamou de ‘atentado terrorista de petistas’, um episódio banal em que jovens, aparentemente embriagado e sem qualquer vínculo com o PT, sujaram de barro ao pisarem nas asas de sua aeronave para uma ‘selfie’ no aeródromo de Tarauacá.
Comprovada a ‘ratada’, Gladson vem agora, numa ‘tréplica’ acusar o episódio de ‘politicagem do PT’. Com um repertório que lembra adolescentes do MBL, Gladson se esquece de que foi ele próprio que viu na brincadeira de jovens um ‘atentado terrorista do PT’.

Se a questão passou a ser, como ele próprio disse, ‘a segurança dos aeródromos’, não custaria nada reconhecer a acusação indevida e o alarmismo de garoto de condomínio.

Já foi inclusive sugerido por este site, que Gladson adotasse um aplicativo de celular que impede a pessoa de postar asneiras quando está embriagado. Talvez seus assessores devessem ter esse cuidado a mais a fim de evitar novos episódios que tristemente acabam associados ao seu nome e ao de sua família. Nos últimos anos vem acumulando alguns, como quando desejou, às vésperas de 2018 um ‘Feliz 2017’, ou quando trocou o nome da padroeira da sua cidade natal, ou pior, quando prometeu, na Câmara de Vereadores que iria asfaltar a rodovia de Mâncio Lima com as máquinas da família.
Mas se for inevitável falar bobagem, o senador poderia ao menos admitir que errou assim que recuperasse a sobriedade.

Informações Juruá em Tempo

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas da semana

Subir