Política

Partidos ligados a Marcio Bittar não querem Rocha como vice e ameaçam romper com Gladson Cameli.

Bloco ante Rocha

Os quatro partidos ligados ao pré-candidato ao senado do MDB, Marcio Bittar, mais os partidos da ex-deputada Antônia Lucia, não aceitam a indicação do presidente do PSDB, deputado Federal Major Rocha como vice de Gladson Cameli e ameaçam romper com o senador caso a indicação se confirme.

Grupo dos Sete

PTC (do advogado Júnior Santiago), PPS (da professora Rosana Nascimento), PMN (da advogada Valdete Souza), PSC (do ex-deputado Jammyl Asfury), PTB (da publicitária Charlene Lima), Solidariedade (Márcia Bittar) e PR (da missionária Antônia Lúcia). Marcaram uma reunião para a noite de domingo (11), para discutir como barra a indicação de Rocha a vice na chapa da oposição.

Forçando a barra

Eles entendem que Major Rocha está “forçando a barra, querendo impor seu próprio nome sem ter apoio da aliança”.  A maioria dos sete partidos apoia a indicação de Eduardo Velloso como vice e planejam conversar com o senador Gladson Cameli para impedir a indicação do Tucano Major Rocha.

Pano de fundo

Por trás dessa reação toda, estão os mesmos velhos ressentimento, entre Bittar e Rocha, que sempre veem à tona quando um dos dois fica em evidencia. Quem não lembra dos famosos áudios do Bittar e da reação de Rocha dizendo que ele e seus seguidores iriam trabalhar contra a candidatura de Bittar ao senado. Então, aí está a explicação.

Ajustando o time

O PT do Juruá trabalha o senário bastante interessante, com candidaturas praticamente em todos os municípios. Cardeais da legenda, dizem que o Juruá poder ser fundamental no projeto do partido. Para isso, conta com: Gontran Neto (Cruzeiro do Sul), Professor Nildson (Santa Luzia), Aldemir Lopez (Marechal Thaumaturgo) e Jonas Lima em Mâncio Lima. Todos candidatos a deputados estaduais.

O federal

Para completar o tabuleiro, os principais articuladores do partido trabalham com a possibilidade de uma candidatura a deputado federal na Região do Juruá. Segundo o presidente do partido em Cruzeiro do Sul, Gontran Neto, o anuncio do pré-candidato a deputado federal na região, poderá ser feito já nos próximos dias.

Puro Sangue

O PDT deve mesmo ter chapa própria para deputado federal. Com nomes como Jesus Sergio, Eber Machado, Cristovan Moura e Paulo Soriano, o partido sonha à veras com uma cadeira na câmara dos deputados.

Marivaldo é o próximo

Depois de Lucila Brunetta, será a vez de Marivaldo Figueiredo pedir para deixar o MDB e abandonar o grupo de Jessica Sales. É apenas questão de dias, aguardem…

Pagando para ver

Algumas lideranças do MDB de Cruzeiro do Sul, não acreditam na saída do Vereador Marivaldo Figueiredo, acham que Marivaldo está ‘blefando’, e que na hora “H” ele deve dar ‘a banda’ no prefeito Ilderlei Cordeiro. Vão sonhando!!!

Comemoração democrata

O vice-presidente do DEM, Frank Lima, fez contato assim que soube da decisão de anunciar o Major Rocha como vice de Gladson Cameli, entre uma amenidade e outra, frank disparou: “Parabéns pra turma do Gladson Cameli, só assim põe fim a trama de querer retirar a pré-candidatura do Coronel Ulysses.”

Melhor noticia

“Essa foi a melhor notícia de hoje para o nosso grupo ‘Resistência Democrática’ que apoia a pré-candidatura do Coronel Ulysses para governo do Estado. “ Arrematou Frank.

Baixa trabalhista

O PDT do Juruá, deve sofrer a primeira baixa no período pré-convenção eleitoral. O primeiro suplente de vereador do partido em Cruzeiro do Sul, Antônio Parente, parece ter se encantado com os lindos olhos verdes do prefeito Ilderlei Cordeiro e deve deixar a legenda e aderir ao grupo do pré-candidato Rudilei Estrela.

Desfecho previsível

O presidente do MDB de Cruzeiro do Sul, o advogado Jonathan Donadoni, vai pedir a cassação do mandato da vereadora Lucila Brunetta que planeja deixar o partido para ser candidata a deputada estadual pelo progressista do senador Gladson Cameli. Já foi inclusive convocada uma coletiva de imprensa para falar sobre o assunto, terça feira 13. Esse assunto é um dos muitos pontos de conflito entre o MDB, ligado ao ex-prefeito Vagner Sales e o pré-candidato Gladson Cameli – Progressista. O MDB se queixa que foi o próprio senador que teria convidado Lucila a ser candidata pelo seu partido e que isso foi a gota d’agua para que a vereadoras resolvesse deixar o MDB. Pelo visto essa foi mais uma bola fora do Senador Gladson Cameli e que está começando a gerar dissabores aos seus aliados.

Por Luiz Carlos Rosa

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas da semana

Subir