Acre

Saúde confirma segundo caso de sarampo em adolescente na zona rural de Capixaba, no interior do Acre

A adolescente não enfrenta mais risco de morte, pois passou da fase crítica da doença e não precisou ser internada. Um bebê de 9 meses também foi diagnosticado com a doença.

Após 18 anos, o Acre voltou a registar casos de sarampo. Nesta sexta-feira (10) a Secretaria de Saúde do Acre informou que foram confirmados dois casos da doença. Um deles em um menino de 9 meses de Rio Branco, capital acreana. O outro em uma adolescente de 13 anos na zona rural do município de Capixaba, no interior do estado.

O diretor de Vigilância em Saúde do Acre, Moisés Viana, destacou que os casos foram confirmados preliminarmente pelo Laboratório Central (Lacen), mas foram encaminhados para a Fiocruz para serem analisados, conforme o protocolo do Ministério da Saúde. Os resultados devem ser divulgados pelo Ministério até a próxima semana.

Confira os locais de vacinação contra poliomielite e sarampo em Rio Branco

Os dois casos confirmados fazem parte de 16 casos suspeitos no Acre. Os outros 14 foram descartados pelo Lacen – alguns deram positivo para dengue e zika – mas ainda assim foram encaminhados a Fiocruz. A adolescente não enfrenta mais risco de morte pois passou da fase crítica da doença e não precisou ser internada.

“Todos os casos notificados foram tratados como casos confirmados, que é a determinação do Ministério da Saúde. Nesses locais, foi feito o bloqueio vacinal, uma das condutas mais importantes, e a orientação de como proceder o no tratamento dessas pessoas”, explicou Viana.

O bebê de 9 meses, segundo o diretor, nem mesmo chegou a entrar na cobertura vacinal básica já que a imunização é indicada para crianças de um ano a menores de 5 anos. O menino está isolado no Hospital da Criança e apresentou problemas respiratórios.

“A nossa equipe esteve em Capixaba e fez os procedimentos necessários. Precisamos que a Fiocruz, dentro dos protocolos exigidos, libere o resultado desses exames e a gente tenha um fechamento definitivo desses casos como positivos”, destaca o diretor.

Informações  G1

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas da semana

Subir