A equipe do Instituto Médico Legal (IML) foi até o igarapé, e com a ajuda de um morador a mala foi retirada de dentro d’água. Ao jornal Folha do Acre, os peritos informaram que ainda no local constataram que o corpo estava totalmente mutilado. A cabeça e os membros [ainda não encontrados], foram decepados provavelmente a golpes de facão. O cadáver já apresentava sinais de decomposição, indicando que a vítima pode ter sido assassinada há mais de 24 horas.

O setor de identificação do IML na capital trabalha na tentativa de identificar a vítima o mais rápido possível. Buscas pela cabeça braços e pernas seguem sendo realizadas no manancial. Agora, o caso é investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). A motivação para tal barbárie também é desconhecida.