Cruzeiro do Sul

Quebra pau na Câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, Vereadores quase chegam a vias de fato durante sessão

Seguranças tiveram que conter o vereador Marivaldo Figueiredo, para evitar agressão fisica ao vereador Ronaldo Brito.

A câmara Municipal de Cruzeiro do Sul, foi mais uma vez palco de senas lamentáveis protagonizadas por alguns vereadores da segunda maior cidade do Acre. O Vereador Ronaldo da Farmácia (PDT) e o Vereador Marivaldo da Várzea (PP) foram os protagonistas de um quebra pau que aconteceu na sessão desta terça-feira, 17, na Câmara de Vereadores do município.

Segundo informações, o vereador Ronaldo apresentou da tribuna da casa, requerimentos solicitando melhorias para o bairro da Várzea, onde reside e tem reduto eleitoral o vereador Marivaldo. A situação não agradou a Marivaldo, que revidou a proposta e os comentários com xingamentos e palavras de baixo calão, segundo presentes, quase chegando a agressões físicas, que só foram evitadas após intervenção da segurança da casa.

Ronaldo afirma que apresentou seu projeto sem maldades. Que apresentou seus requerimentos e ofícios e infelizmente não foi interpretado da melhor forma e isso gerou tumulto dentro do plenário. O mesmo afirma que foi agredido verbalmente com palavras de baixo calão e irá pedir as gravações das câmeras internas para procurar seus direitos e buscar o Conselho de Ética da Câmara, e que estuda a possibilidade de levar o caso a justiça comum, já que não é a primeira vez que acontece de o vereador Marivaldo agredir verbalmente colegas e até jornalistas sem que providencias sejam tomadas pela mesa diretora da Camara.

“Fui eleito para trabalhar e não para entrar em discussões pessoais. Sou vereador do município de Cruzeiro do Sul, de norte a sul e de leste a oeste, de todas as comunidades urbanas e rurais do nosso município, então apresentei meu projeto e porque fiz uma indicação dentro do bairro do Vereador ele não gostou. Não é só ele que tem direito de fazer indicações no bairro dele não, todos os quatorze vereadores têm o direito de fazer indicações dentro de todos os bairros, onde haja necessidades. Como fui ameaçado vou procurar meus direitos.”, disse Ronaldo Onofre (PDT).

O vereador Marivaldo Figueiredo (PMDB), também falou sobre o ocorrido.

“Eu jamais vou me irritar ou entrar em uma briga quando os vereadores querem fazer o bem pelo povo. O problema é que o Ronaldo está entrando numa briga pessoal comigo, ele e o Leandro Cândido estão formando um complô contra mim dentro da Câmara. A problemática não foi por causa do projeto e sim pelas agressões verbais a mim nesta terça-feira, ele está me agredindo verbalmente a mais de quatro meses. Eu disse que se o problema dele era pessoal comigo que ele fosse lá para fora para resolvemos, mas não agredi ninguém. Ele que me agrediu e agrediu minha família. O jogo político é muito covarde.”, disse Marivaldo (PP).

O Presidente da Câmara, Romário Tavares (PMDB) afirmou que a mesa diretora irá tomar providências para solucionar essa situação.

“Ambos usaram seus minutos na tribuna para proferirem agressões verbais um com o outro, mas iremos tomar as devidas providências. Iremos reunir os quatorze Vereadores e olhar no regimento qual é a primeira cláusula, que se não me engano é uma advertência aos dois”, falou o Presidente.

Embora o vereador Marivaldo negue as agressões, não é primeira vez que ele se envolve em confusões dentro da câmara municipal. O mesmo vereador já protagonizou um bate-boca com o Vereador Franciney Mello e uma tentativa de agressão contra o jornalista Richard Silva do Portal Juruá em Tempo.

 

 

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas da semana

Subir