Acre

Caseiro é achado morto em estado de decomposição e filha está desaparecida em Rio Branco

João Emídio de Lima foi encontrado em uma chácara da zona rural de Porto Acre. Filha do caseiro sumiu após sair de uma agência bancária em Rio Branco.

O caseiro João Emídio Cavalcante de Lima, de 48 anos, foi encontrado morto no Seringal Capatará, zona rural de Porto Acre, no interior do estado. O corpo foi achado por outro caseiro no início da tarde desta terça-feira (7).

Em Rio Branco, a filha de Lima, Thaís Emília Cavalcante de Araújo, de 24 anos, desapareceu após sair de uma agência bancária. A família diz que a jovem foi vista saindo do local por volta das 10h desta terça.

Ao G1, uma cunhada de Lima, que pediu para não ser identificada, disse que ele morava sozinho em uma chácara do seringal. Porém, na sexta (3), o caseiro falou durante uma ligação no telefone que o outro caseiro estava na casa dele com a família.

“Deixei de ter contato com ele na sexta. Liguei e ouvi barulho de gente. Perguntei quem era e ele falou que o ex-caseiro estava lá com a mulher e os filhos. Ele falou que o cara tinha ido deixar ração para os cachorros, mas tinha saído para mata caçar e a mulher ficou na casa dormindo com as crianças”, falou.

A cunhada disse que chegou a ligar no período da noite para Lima, mas a ligação não foi atendida. A família da vítima foi ouvida pela Polícia Civil.

“Desconfiamos do homem que estava lá. Não podemos afirmar, mas é a primeira pessoa que desconfiamos. Esse meu cunhado era solteiro há muito tempo, não tinha mulher e essa mulher do cara não tinha boa fama. Dizem que ela ficava com os caras por lá. Se aconteceu algo entre eles, o cara chegou na casa e atirou com a própria espingarda”, lamentou.

A parente destacou ainda que não foi levado nada da casa, apenas a espingarda usada no crime. A família acredita que o caseiro foi morto na sexta.

“Como ele não atendia o telefone, ligamos para o dono da chácara e ele mandou esse cara [que estava na casa da vítima] procurar meu cunhado. Quando chegou lá ligou para o dono da chácara dizendo que ele estava morto. Ele foi morto dentro da casa, com um tiro na nuca e ainda deram quatro facadas na barriga dele”, contou.

Desaparecimento
Sobre o sumiço da filha do caseiro, a família acredita que não há ligação entre os fatos. Thaís Emília saiu de casa na manhã desta terça para sacar dinheiro em uma agência bancária.

“A mãe dela falou com ela por volta das 10h. Ela estava saindo do banco. Não teve mais contato. O visualizam o WhatsApp dela, mas não falam nada e nem atendem o telefone. Se ela tiver viva nem sabe da morte do pai. Para mim ela não está mais viva, mas acho que não tem ligação. É outra coisa. Uma coincidência”, diz.

Informações  G1.

Clique para comentar

Deixe uma resposta

Mais lidas da semana

Subir